está lá, já irá

somos os mesmos imbecis de antes

os imbecis vazios, estufados

repetitivos e infantis

benzidos por santos imbecis

não perdoados por deuses imbecis

com nosso discurso do fiz-mas-juro-que-não-fiz

nossos sacrifícios pra fétida flor-de-lis

da nobreza, essa pobre elite grã-fina

que admite o crime mas não diz

e segue impune, por rotina

pois quem julgará o juiz?

2000comics02

aparência é essência?

OBVIOUS100.jpg

arde de tudo, mesmo tarde de tudo

o mundo seria melhor se eu fosse essa ou aquela outra? se eu fizesse mais que faço, o quilo teria mais gramas? e se meu sonho fosse só uma cama mais macia – seria? duvido que se minha boa vida fosse a medida de tudo soluções fossem sem soluços ou exercícios sem sombras:

o sapo com um cisto no cílio, um parasita, desenvolve vários membros – nove novas pernas, cinco braços finos, um monstro enfim – seria? o parasita é só mais um ser num ser

minhas formas e sonhos acanhados (não tacanhos) são matéria que não sou eu, há nela uma beleza que me escapa e me empunha. se a tivesse saberia que anoitece, seria testemunha